quarta-feira, 13 de fevereiro de 2013

"ACIDENTES DE VERÃO" : cuidados com as caravelas e águas vivas


Olá pessoal,após uma pausa do "feriado carnavalesco" estamos de volta!  :)

Agora no verão neste tempo que passamos na praia,aconteceu uma coisa muito chata,e que pelo menos no Nordeste é até comum: acidentes com caravelas e águas vivas.
Minha sobrinha de 5 anos foi ferida por uma,que se agarrou na perna enquanto ela tomava banho de mar..no desespero para libertar ela do animal,meu irmão pegou o bicho com as mãos.. resultado: os dois saíram bem machucados..  :(
E então quanto fomos ter os cuidados médicos,ficamos sabendo de detalhes que eu não sabia a respeito dos cuidados a serem tomados em acidentes como este,e que infelizmente  agimos justamente da forma errada,o que agravou o ferimento...Após o atendimento correto,ainda bem que foi apenas um grande susto e agora está tudo bem.
Essa é mais conhecida como "caravela".Fonte da imagem www.sxc.hu/
Bom,diante disso resolvi postar aqui para vocês os cuidados a serem tomados com acidentes desta espécie,que eu espere que você realmente nunca precise usar,mas que podem auxiliar em algum momento,seja na sua familia ou caso veja alguém ferido nessas circunstâncias.Quanto mais informação melhor,a gente nunca espera usar,mas caso aconteça é bom ter essas informações.

Dentre os diversos tipos,o mais comum no Brasil são os da "classe Hidrozoa",apresentam o corpo em forma de bexiga e apresentam tentáculos na parte inferior do corpo.São as chamadas "caravelas". E os da classe "Cubozoa" ,também chamadas águas-vivas e que possuem corpo em forma de guarda-chuva.Ambos podem atingir o banhista sem serem vistos,mas por serem estranhos e muito coloridos( rosa,azul ou roxo) podem chamar atenção das crianças,daí a importância de quando avistar uma,mostrar a criança e explicar que deve ficar longe deles pois podem causar machucados.

Caso seja atingido por uma,segue os primeiros socorros:

* Remover tentáculos sempre que possivel usando luvas, pinça ou um pano e nunca tocar com a mão nua;
Aplicar compressas de água gelada: do mar ou com bolsa de gelo;
* NÃO lave com água doce,pois agrava a dor. Não esfregar a região do ferimento;
(não sabiamos desses dois detalhes quando minha sobrinha se feriu: eis aí nosso erro..)
* A aplicação de compressas de vinagre "desativa" o veneno, então pode ser aplicado; 
* Nunca urinar sobre o local, nem lavar com água doce ou cerveja ( não aliviam a dor,e podem agravar o problema)
* Não aplicar qualquer outra substância sobre o local e se dirigir com urgência ao posto de saúde mais próximo.O quadro depende de duas ações básicas desencadeadas pelo conteúdo dos venenos presentes nos nematocistos (estruturas localizadas nos tentáculos): ação tóxica e alérgica. Geralmente os sinais e sintomas são ardência e dor intensa nos pontos de contato, eritema e bolhas, podendo também apresentar necrose superficial, e nos casos mais graves, vômitos,câimbras, desmaios, convulsões, arritmias cardíacas, problemas respiratórios.
Fonte: MINISTÉRIO DA SAÚDE-SECRETARIA DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE/ 
DEPARTAMENTO DE VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA

9 comentários:

Andreza Dica e Indica Disney disse...

Puxa, que coisa chata... Nós estamos sempre na praia e por sorte nunca aconteceu nada, mas mandei suas recomendações para a família toda, pois é importante sabe como agir numa hora dessas.
Espero que estejam todos bem.
Abraço

EDUARDO disse...

Muito bom o post alertando sobre os primeiros socorros nesses casos, já vi algumas águas viva aqui nos litorais do sudeste, mas nunca procurei saber sobre como proceder nesses incidentes.
Valeu pela dica.
Abraços.

Flávia Brito disse...

Realmente são informações muito úteis, principalmente nestas épocas quando as praias estão cheias e muitos turistas que não tem muita convivência com esses animais acabam cometendo erros na hora dos socorros. Beijjos!!!

Ateliê Ida e Kika disse...

Ótimo post, Ana.
Já vimos um acidente assim com um menino em Itacaré. Por sorte o guia estava equipado e foi muito atencioso. Mas é sempre bom saber o que fazer quando não temos uma ajuda especializada por perto.
Bjs

Paty Michele disse...

Ai, tadinha da sua sobrinha, Ana!
Já fui vítima das malditas caravelas qdo adolescente, mas o caso mais grave aconteceu com meu irmão, que foi atacado por uma enorme, enquanto mergulhava. A bandida pegou-o pelo pescoço, espalhando-se pelo peito dele. foi terrível! Ficou dias com o local ferido.
Valeu pelas dicas.
Um bjão.

Marilia disse...

Puxa, é horrível. Presenciei a cena com um menino pequeno. De cortar o coração.
Abraços.
http://andancasdamarilia.blogspot.com

Daniela Roos disse...

Menina, eu nem conhecia este ser maritimo.
Ai que dó da sua sobrinha.
Adorei ter lido este dica.
Saudades de vcs lá no blog.
bjocas
Dani

Paula B disse...

Sabe que por aqui andou uma onda no outro ano e muita gente se feriu. Já as vi por duas vezes, bem próximas, mas só fiz correr...rsrsrs!!! Muito bom saber os cuidados que devemos ter, senão na boa intenção acabamos nos ferindo e agravando os ferimentos da pessoa atingida. Vou compartilhar, o alerta é importante. Abra~ços,

Paula

Tiffany Stica @blogdati disse...

Foi bacana você divulgar o relato do acidente e os cuidados corretos. Com água viva já me queimei inúmeras vezes, mas só aquela mancha vermelha, muita ardência e que melhora com compressas de gelo. Caravelas devem ter um resultado pior, mais dor e o susto deve ser maior também. Já vi algumas assim, do ladinho, quando praticava wakeboard, mas sempre escapei.

Dei um RT para alertamos outros pais e mães neste período de ferias. E para a sobrinha, melhoras!

Tiffany @blogdati